Uma pessoa morre a cada 12 minutos no trânsito brasileiro

Após cinco anos de uma otimista redução no número de óbitos no trânsito, o Brasil teve, comparando 2017 com 2016, um aumento de 23% nas mortes causadas pela violência nas ruas, avenidas e estradas do país.

Os dados, apresentados por um relatório da DPVAT (o seguro obrigatório e de caráter social pago pelos motoristas brasileiros), serve de alerta a todos nós, sobretudo neste mês, em que acontece o Maio Amarelo, o movimento que chama a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

O infográfico abaixo mostra alguns números relativos a esse cenário e aponta como o processo de formação de condutores é essencial para que possamos virar esse jogo.

Poluição também é letal

Além das mortes causadas por imprudência e irreponsabilidade, o trânsito provoca mortes por conta do ar, que foi responsável por 51.826 óbitos no Brasil em 2016.

O mais recente relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta ainda que, no mundo todo, a poluição matou cerca de 7 milhões de pessoas no mesmo período.

Nesse contexto, a mobilidade urbana pode ajudar, já que é considerada, pela OMS, como uma forma de combate à poluição, melhorando a qualidade de vida das cidades por meio do incentivo aos deslocamentos não motorizados e ao uso do transporte coletivo – principalmente os ferroviários, que não dependem de energias dependentes de petróleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *